terça-feira, 24 de agosto de 2010

Novo Livro - Filosofia e Sabedoria de Jesus




Como já salientei na abertura de meu livro editado e reeditado em quarta edição “Cristo Esse Desconhecido”, na década de 1960, Allan Watts, falando do Cristianismo, nos alertava, dizendo: “Nos primórdios de sua história, o Cristianismo Organizado ou a igreja repudiou a gnosis ou a experiência direta da Verdade e aceitou a pistis ou a fé, ou ainda somente admitiu a confiança absoluta em certas verdades reveladas sobre Deus.”
Este meu atual livro sobre Cristo, tratando da Filosofia e Sabedoria do Mestre, ou também esta revolução histórica da Doutrina de Cristo provará que a gnosis em Jesus tinha tanta importância quanto a fé. Para assimilar tudo isso, conta-se evidentemente com a boa vontade do leitor. Esta obra mostrará inclusive que a gnosis crística ou a Sabedoria de Jesus vem à frente da pistis ou da fé pura, daí o título do livro, “Filosofia e Sabedoria de Jesus”. Este trabalho mostrará inclusive que a fé, mais o autoconhecimento crísticos, não se conflitam entre si. Não é por nada que certos cristãos antigos, condenados pela Igreja em formação, nos deixaram escrito uma Pistisophia ou a Sabedoria da Fé, uma obra prima do gnosticismo cristão. Meu livro não é gnosticismo, e sim vai muito além.
========
Neste trabalho fica mais do que evidente de que Jesus possuía também uma filosofia e uma sabedoria própria. Por exemplo:
1) A lógica de Cristo vai além da lógica convencional dos gregos antigos e acadêmicos de hoje. Ele próprio disse: “Se a vossa Justiça ou Entendimento Perfeito não exceder ou não ultrapassar a dos escribas e fariseus, não podereis entrar no reino da Verdade ou no Reino de Deus”.
2) Como estética crística, temos diversos versículos notáveis, tipo: Não é a vida mais do que o alimento e o corpo mais do que a roupa?...” "Olhai as aves do céu não semeiam nem plantam (e mesmo assim vivem em abundância)..." "Olhai os lírios dos campos não trabalham nem fiam, mas nem Salomão se vestiu como um deles”.
3) A moral ou ética de Jesus ultrapassa então toda e qualquer moral conhecida naquele tempo e antes dele. É só ler o Sermão da Montanha.
4) Em Política Jesus não estipulou o assentamento de uma organização social e política ideal, mas mesmo assim Ele foi político à sua maneira, dizendo, por exemplo: "[Sabei também que] a raiz de todos os males é o amor ao dinheiro, por causa do qual, [muitos] se afastam da fé, e a si mesmos se afligem com muitas dores". (Palavras autênticas de Jesus e não de Tiago, o Maior).
[E mais, Jesus também disse]: "Não penseis que vim trazer a paz ao mundo; não vim trazer a paz, mas a espada" [da Verdadeira Justiça, que, como já vos disse, é Discernimento, Sabedoria, Reta Compreensão e Reta Percepção. E é disso que carecem todos os homens, já que o mundo é uma verdadeira prisão ou é um campo de concentração]!...
5) Jesus também foi metafísico e epistemólogo, quando disse: “Conhecereis a Verdade e a Verdade vos fará livres”..., ou senão disse: “Deus-Pai quer que todos os homens venham ao conhecimento da Verdade”.
===========
Nesta obra, a própria Doutrina, Filosofia e Sabedoria de Jesus, expostas em palavras, é que vão provar a verdadeira existência do Mestre em seu tempo, e não aquilo que se inventou a respeito da vida do grande Galileu. E se a DOUTRINA, FILOSOFIA e SABEDORIA de JESUS CRISTO não provam a realidade do próprio Santo e Mestre, então elas atestam o extraordinário gênio de um eventual autor anônimo, que, bem no começo da era cristã, escreveu tal Doutrina, autor esse que não deixaria de ser também um Cristo a seu modo.
Jesus, o Mestre do Ocidente por excelência e Sábio da Galiléia, como modo de Libertação humana, como forma de purificação da Mente do Homem, preconizou tanto a Sabedoria como a Fé (ou simples crença). Sim, a verdadeira doutrina de Cristo é pistis (fé), mas é principalmente gnosis (ou Compreensão Perfeita, Autoconhecimento). Isso quando posto em prática pode resultar em Realização ou em Iluminação, que é o salto do Homem para o Infinito
=============
Muito amiúde Jesus empregava palavras tipo Justiça e Reino de Deus que poucos cristãos compreenderam, principalmente os teólogos.
Por exemplo, Justiça significa Reta Compreensão, Reto Entendimento, Sabedoria Perfeita e Perceber Impecável... De sua parte Reino de Deus significa Natureza Verdadeira, Éden, Autonatureza Incondicionada, Manifestação Divina e Autêntica de Deus Pai-Mãe. E nada tem a ver com o reino de Jeová a se implantar neste nosso falso mundo pretensamente físico, múltiplo e dualista, em verdade recriado pelo pensamento vulgar e pelo ego-pensamento, o inimigo do homem. Assim que como um pálido exemplo de admoestação e lógica crística, temos: “Buscai primeiro o Reino de Deus e sua justiça, e depois disso todas as coisas vos serão acrescentadas”. Estes dizeres são iguais ao aforismo grego e universal: “Homem, homem primeiro conhece-te a ti mesmo!”, [já que depois disso conhecerás adequadamente todas as coisas e principalmente a Deus].

LIVRO NOVO – Filosofia e Sabedoria de Jesus
Graças a Deus e graças ao Clube de Autores, finalmente consegui editar três livros meus, agora apresentados. Outros mais vem a seguir. A última vez que me editaram no estilo “papai-mamãe”, ou seja, uma forte e séria editora tomar interesse pelo teu trabalho e te publicar foi em 1986, Editora Record. . De lá para cá, fiquei a ver navios atracados no deserto ou contando moscas no ar. Em realidade, por minha conta e com meu dinheiro, editei mais quatro livros. Mas desta vez, para mim, foi um desastre completo, porque no Brasil, se não é uma editora a que te edita, com um selo respeitável e tudo o mais, as subsequentes distribuidoras e livrarias não colocam teu trabalho nem o vendem. Assim que mais da metade da minha iniciativa particular está amontoada na minha casa. Até suspeito que por causa dos livros “A Grande Conspiração Universal” e o “Apocalipse Desmascarado”, os donos do poder resolveram me atirar a um ostracismo completo, fazendo com que me ignorassem ou ninguém me desse caso.
============
Mas mesmo assim, e nesse tempo de agonia, de 1985 para cá continuei escrevendo, e cheguei a acumular mais de 25 livros inéditos. Quantas tentativas inúteis e quantos ponta pés me obsequiaram.. Assim é, porque toda a mídia e grandes editoras estão nas mãos dos “não poucos da anti-humana raça”. Alguém dentre eles chegou a insinuar que se eu tinha tantas obras não publicadas, era porque elas simplesmente não prestavam. Esses terríveis deuses negros dos “Protocolos”, com mãos de ferro exercem um poder roubado. Quantas vezes me fizeram sentir vergonha de eu ser escritor. Escrevo desde 1965 e o primeiro trabalho desse tempo, a caro custo, só veio a ser editado em 1971, pela editora Civilização Brasileira.
============
Meus livros têm todos os estilos. São importantes e agradáveis. São de interesse nacional e internacional. Deveriam constar em livrarias e bibliotecas do mundo inteiro. Mas, ironia das ironias, no Rio Grande do Sul e em Porto Alegre onde resido sequer sou considerado escritor gaucho. Parece que as grandes editoras do Brasil também não me consideram escritor brasileiro. É uma pouca vergonha o que os donos do poder corrompido fazem com certos escritores e pensadores do Brasil, iguais a mim.
============
São quase 50 anos que venho escrevendo e “o tanto se me dá” das editoras continua prevalecendo. Com a Internet, a situação melhorou um pouco, mas também não foi lá aquela maravilha. Escrevo, publico mas não sou encontrado porque a Internet é um verdadeiro labirinto, onde a imagem conta mais do que o texto. Senhores Editores, vocês existem para, na medida do plausível e possível publicar obras brasileiras de mérito e não somente as que vêm de fora. Parem de endeusar um Dan Brown e de ofender e humilhar os não-Paulo Coelho da vida. Atrás dos dois não há nem Verdade nem o suprasumo da escrita. Pois é, afinal nem todos conseguem fazer parte de certo clube que tudo pode e em tudo influi.

Um comentário:

  1. Independentemente de concordar no todo ou em parte com o Dr Bono, o que realmente importa é que se ve um espirito forte, com coragem e que está sempre e unicamente vinculado a sua propria maneira de pensar, nao se vergando às meias verdades, às unanimidades em geral e tb nunca se permitindo ver sua auto estima diminuir pq o ego precisaria se alimentar de elogios e vaidades. O que se ve nele é uma edificação que nao se altera por pouca coisa. Sólido, insólito e incomum......um espirito de luta que nunca se calará diante do que acredita. Autentico, ^sempre êle mesmo. meryllouisethompson@gmail.com

    ResponderExcluir